ATÉ QUE PONTO VOCÊ QUER SER CURADO?

Já é falado e repetido que o primeiro passo para a cura é o desejo de ser curado!

Entretanto, é natural que quando alguém recebe a solução para algum problema, indique o caminho para as pessoas a quem ama. É maravilhoso o desejo de compartilhar e querer que o outro também seja beneficiado. É gesto de amor.

Mas, se a pessoa buscar tratamento somente porque alguém indicou, mas não estiver com a mente aberta, receptiva e com o desejo sincero de ser beneficiada, a cura não ocorre. Isso é percebido em todos os sistemas de cura, nas medicinas mais antigas e nas medicinas contemporâneas, a pessoa tem um enorme poder, inclusive, de impedir o efeito benéfico de medicamentos porque mente fechada é sinônimo de alma que recusa a cura. Quando a alma está bloqueada e decidida a não receber a cura, é exatamente isso que acontece.

Trabalhei onze anos em hospital de alta complexidade e ouvi muitos relatos de profissionais da saúde que ficavam impressionados com pacientes que, somente após “resolverem” questões internas e aceitarem que mereciam ser curados é que as prescrições medicamentosas começavam a fazer os efeitos já esperados pela medicina convencional.

Na cura emocional e espiritual, a dinâmica é a mesma. É preciso perguntar até que ponto a pessoa quer ser curada.
Gente com a mente fechada não recebe cura à força. Por isso é um erro forçar pessoas queridas a buscarem a cura seja em que sistema for, assim como é um erro insistir em atender a quem está arredio e sem abertura mental e espiritual para receber algo mais refinado e sagrado. Isso não acontece sem que a pessoa permita e admita que merece.

Vejam, por exemplo, as histórias de antigos mestres das mais diversas tradições espirituais que sempre perguntavam a quem deles se aproximava: “o que deseja que lhe faça? E, pode ser lido que alguns diziam, por exemplo: “que eu veja”, “que eu ande” e assim por diante. Era preciso que a pessoa quisesse. Isso não mudou. Continua assim!

Os sistemas de cura com os quais atendo são sagrados, não foram aprendidos apenas mediante certo número de horas de treinamento. Não. São refinados porque vem transmitidos das gerações mais antigas e chegam por linhas sutis de comunicação, por isso, quem vem, precisa querer, precisa desejar para que algo se mova em seu favor, curando o corpo, a alma e o espírito.

É preciso saber que muitas cirurgias espirituais acontecem nos corpos sutis de quem busca e se abre para a cura e isso ultrapassa os limites das técnicas. É algo sagrado! Por isso, devemos apoiar somente quem quer ser curado e liberto em determinado momento. Cada pessoa tem sua hora; e para perceber isso é preciso discernimento. (Aluísio Alves: Doutor em Educação Médica, Psicanalista, Terapeuta Sistêmico, desenvolveu técnicas específicas em diversas abordagens ancestrais e modernas de Desenvolvimento Integral, Cura e Superação ao longo de mais de trinta anos, atendendo em várias cidades do país).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *