O QUE ACONTECE ENQUANTO VOCÊ ESTÁ FORA DO SEU LUGAR?

Numa família em que o filho é filho, a mãe é mãe, o pai é pai, a esposa é esposa e o marido é marido, tudo flui com mais leveza e gera mais felicidade!

Nos atendimentos terapêuticos e de coaching que realizo tanto individualmente quanto em grupo, o que mais acontece é de encontrar pessoas fora de seus lugares na vida familiar. Isso, infelizmente, tem repercussões nos demais setores da vida desses indivíduos.

É mais comum do que se imagina encontrar mulheres que “abandonam” seus lugares de mães e se comportam como se fossem filhas dos próprios filhos ou mães dos esposos; homens que não permanecem em seus lugares de maridos e se posicionam como filhos das esposas ou pai delas; filhos que saem de seus lugares de pequenos no sistema e insistem em se posicionarem como se fossem pais e mães dos próprios pais…

Como é fácil perceber, famílias nas quais são encontradas pelo menos uma dessas situações, existe uma confusão de posições e, certamente, esses grupos familiares estão adoecidos. Precisam de cura real em seu sistema.
Por isso a pergunta: o que acontece enquanto você está fora do seu lugar? A resposta é que você não está vivendo a sua vida. Está tentando viver a vida e fazer o papel de outra pessoa.

Quando alguém está fora do seu lugar, fica perdido na existência. É um ser errante cuja trajetória é muito pesada e cheia de adoecimentos, infortúnios e tristezas. Por mais que isso doa (e sempre dói), é preciso sair do lugar que não pertence a si e retomar o lugar que por hierarquia é de fato seu.

Ficar fora do próprio lugar é também causar confusão nos papeis de outros membros da família. Incomoda muito e, na maioria das vezes, por ser uma posição tomada inconscientemente, o que está fora tem dificuldade em aceitar, mesmo no processo de cura já vi muita gente rejeitar a verdade nua e crua de que está perturbando seu sistema familiar e se recusar a voltar ao lugar que lhe cabe.

Isso dura enquanto a pessoa tiver resistência emocional para suportar tamanha carga, assim que começa a se dar conta do quanto está difícil conduzir sua vida para o que soma, para o que é mais, mesmo que seja dolorido, resolve assumir o lugar que lhe pertence. Assim recebe a cura de que tanto precisava. Aprendeu, pela dor.
Pense nisso e verifique como está seu posicionamento dentro do seu grupo familiar. Seja realista: se perceber que está fora de lugar, busque ajuda para, com maturidade e consciência descobrir qual é o seu verdadeiro lugar, a posição na qual você será mais feliz e sua família ficará mais fortalecida. (Aluísio Alves: Constelador Familiar, Terapeuta Sistêmico, Psicanalista)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *