O QUE RECEBI DO MEU PAI…

O que recebi do meu pai?

O poema Bola Dourada, escrito por Bert Hellinger, começa com o verso “O que recebi pelo amor de meu pai eu não lhe paguei”…

Então me faço a pergunta: o que recebi do meu pai?
Talvez tenha passado muito tempo da minha vida enganado pela falsa ideia de que meu pai tenha me dado pouco…diante do que eu queria!

Talvez tenha passado muitos dias questionando a razão do meu pai não ter me dado muito mais… fustigado pelas dificuldades para me firmar na Vida!

Talvez tenha, em segredo, cobrado do meu pai tudo o que o eu achava que ele deveria ter me dado…apertado pelas circunstâncias que tive que enfrentar!

O que recebi do meu pai?

Mas, hoje, também pai, tenho alguma consciência do muito que recebi do meu pai e que jamais poderei retribuir mas, não é porque ele tenha viajado para outros mundos mais sutis, não! É pela impossibilidade de retribuir de forma equivalente a tudo o que ele me deu. Há um desnível entre meu pai e eu que me impede, mesmo que eu o queira, retribuir de forma igualitária a tudo o que dele recebi. Impossível!

O de mais precioso que recebi do meu pai foi a sua disponibilidade em se colocar como canal para que eu fosse incluído no mundo dos viventes, somente isso basta para que eu o reverencie para o resto dos meus dias.
Mas, meu pai recebeu algo muito precioso do pai dele e me presenteou na alma integralmente com a disposição para Servir ao que sofre, para estender as mãos para tocar feridas que só o coração enxerga. Meu pai não guardou esse dom para si, como o pai dele também o transmitiu…

Meu pai me deu muito mais: a música para cicatrizar feridas, a poesia para despertar corações, a sensibilidade para o contato com a natureza e suas forças sutis…ah!, meu pai!, minha gratidão por ter me dado tanto e pela atitude de nunca me cobrar que eu reconhecesse nada!

Meu pai me deu tudo o que eu precisava, e muito mais, sem nunca ter me dado o falso apoio que cria os acomodados e os desmotivados sem vontade de ser e fazer. Gratidão também por isso meu pai! Repassarei adiante!

O que meu pai me deu recebo com alegria e uma incômoda sensação de saudade acompanhada do sentimento de que eu poderia ter dito muito mais vezes “obrigado, meu pai, por tudo que recebi transmitido diretamente à minha alma”. (Aluísio Alves: Terapeuta Sistêmico, Constelador Familiar, Psicanalista. Segue seu avô paterno, Messias Alves e seu pai José Geraldo Alves na tarefa de servir pessoas em seus processos de cura e desenvolvimento integral).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *