CRIANÇAS E DOENÇAS MENTAIS: PROTEGER, PREVENIR E TRATAR

Estão chegando ao mundo crianças maravilhosas, evoluídas e sensíveis, mas é preciso cuidar melhor delas para tecer um futuro melhor para a humanidade.

Os índices de saúde nacionais e internacionais apontam para graves doenças mentais que tem afligido a população de todas a idades, com uma curva de crescimento preocupante: os adolescentes e jovens com distúrbios que os tem prejudicado muito. Suicídios tem crescido assustadoramente e os tratamentos para depressão nas faixas de idade mais novas são alarmantes.

O que muita gente ainda não se deu conta é de que muitos adoecimentos vem no sistema familiar e, curiosamente, até para se sentirem parte, pertencentes ao grupo, pessoas adoecem.

Desta forma, quero provocar uma reflexão um pouco mais abrangente: já está passando da hora de proteger nossas crianças das doenças mentais e de suas consequências. Enquanto tratamos dos adolescentes, jovens e adultos, precisamos fazer um dique de contenção do crescimento das doenças mentais que tem afetado as crianças, desde muito cedo.

Criança tem em si um amor cego, imaturo e segue os grandes do sistema familiar em suas virtudes, sucessos, fracassos e, pasme você: também os segue nas doenças. Motivos? Vários, mas o principal é o amor e a lealdade que tem aos pais e aos demais ancestrais.

Na cura pela abordagem sistêmica e outros recursos mais profundos que utilizo para apoiar as pessoas, percebo o quanto dá resultados quando os adultos da família se tratam para proteger, prevenir e tratar as doenças mentais que capturam as crianças. Resultados magníficos, encantadores e rápidos.
Precisamos olhar para o futuro sim, não de forma inocente, presos numa utopia de que tudo vai melhorar. Sim, claro que desejamos que tudo melhore, mas a vida não segue nossos desejos. A vida tem determinantes muito mais fortes e que não admitem falta de atenção ou brincadeiras de nossa parte. Precisamos olhar para doenças mentais das crianças com muita responsabilidade.

Tem dado muitos resultados para as crianças quando médicos, psicólogos, psicopedagogos, terapeutas, conselheiros religiosos me procuram para tratar o sistema familiar, o que pode ser pelo atendimento direto a crianças a partir dos nove anos ou de um dos seus pais biológicos ou de quem as cria e educa.

Garantir um desenvolvimento neurológico e psíquico para as crianças é reduzir problemas no futuro, é plantar uma semente de cura que protegerá muitos descendentes dessas crianças e, claro, teremos uma humanidade mais saudável. Precisamos proteger, prevenir e tratar nossas crianças das doenças mentais. (Aluísio Alves: Psicanalista, Terapeuta Sistêmico, Constelador Familiar).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *