A LEI DO AMOR QUE ATUA NA CURA

Quem Serve no Caminho da Cura deve estar sob a Lei do Amor.

Um dos mestres a quem a Providência me confiou durante três anos, no início da minha juventude, o parapsicólogo e sacerdote Francisco Trombert, ensinava muito mais pelo exemplo de postura do que pelas palavras ou recomendações de leituras. Era austero consigo próprio e seguiu sua vida com muita autodisciplina. Faleceu no ano 2000.

Habilidoso agente de cura, era discreto em seus atendimentos e procurava sempre relativizar o entusiasmo que as pessoas manifestavam após os grandiosos resultados de curas que obtinham. Muitas vezes, vi aquele ser humano amoroso ter que fugir de tantos que o procuravam em busca de soluções para suas dores no corpo e na alma. Passava a poucos centímetros dos que o buscavam e estes não o percebiam. Dominava as artes sutis como poucos Mestres.

Durante e após a agradável e produtiva convivência diuturna com meu admirado Mestre, aprendi que uma das características mais importantes para se colocar no Serviço de cura é submeter-se à Lei do Amor. Sem amor é impossível Servir.

O magnetismo pessoal é essencial. É um dom, um presente dado com um propósito maior. É preciso também a habilidade para captar e transmitir a energia curativa natural por meio de gestos, olhares, mãos e palavras. A palavra magnética tem um poder de cura inimaginável. É necessária uma percepção clara do adoecimento e sua localização, se for no corpo, e uma força suficiente para dissolver nódulos energéticos cujo caminho é o da somatização, manifestam-se no corpo, quando não são dissolvidos na aura da pessoa. Isso, por sua vez, exige uma ótima sintonia com a Fonte Infinita da Vida e da cura.

Quando o agente de cura está alinhado com um propósito maior, ditado pela Suprema Lei do Amor, os resultados acontecem e podem ser percebidos através da revitalização integral da pessoa que recebe o tratamento, do bom funcionamento dos órgãos e demais funções, do equilíbrio de todos os sistemas que sustentam a vida humana na Terra. Desatrofiar, religar o fluxo e a circulação da vida no organismo são resultados esperados de uma intervenção adequada de um Mestre de cura. A retirada de partes que não tem recuperação funcionam como desobstrução energética e isso é realizado para o bem da pessoa adoecida cujos sintomas, na maioria das vezes, são variados e descontínuos, dificultando tratamento adequado pela medicina da Terra. Por fim, o mais desejado e esperado é a cura completa. A atuação de quem Serve no Caminho da cura deve ser refinada, sem necessidade de cortes porque a cirurgia acontece nas regiões sutis do corpo, sendo que, nem sempre, ficam marcas físicas da intervenção, porém, os resultados são percebidos com clareza.

Para que isso aconteça, é necessário que o buscador da cura tenha firme propósito e sinta-se merecedor do resultado em sua vida e, do outro lado, que o agente de cura coloque-se como o canal, o instrumento de uma força amorosa que libera o fluxo da vida e da cura. (Aluísio Alves: Doutor em Educação Médica, Psicanalista, Terapeuta Sistêmico, Constelador Familiar).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *