O ALGODÃO DOCE E A FLEXIBILIDADE

O algodão doce representa o mundo infantil e a flexibilidade é própria dos adultos. O algodão doce é suave e saboroso, mas, desmancha-se rapidamente e seu prazer é passageiro. A flexibilidade, ao contrário, exige esforço, mas, é a atitude que dura muito e ajuda a enfrentar os desafios da vida com mais força e equilíbrio.

Os processos de desenvolvimento e cura que, verdadeiramente, podem arrancar a pessoa do pântano da mente manhosa são os que confrontam, incomodam e evitam tratar o buscador como se trata uma criança. Interessante, que as pessoas de mente manhosa ficam bravas, como é natural nas fases infantis, rejeitam a solução porque, no seu autocentrismo, querem que tudo seja resolvido do seu jeito e no seu tempo. Isso é muito perigoso e já explico os porquês:

a) abre espaço para ser enganada e mantida numa ciranda interminável de processos vazios e sem resultados;

b) atrasa a solução devido à inércia do buscador que fica “esperando que alguém a carregue no colo” e o conduza para um estado mental ou espiritual sem que precise se esforçar.

Por conta dessas constatações, devemos ficar mais atentos conosco e com as formas com as quais somos tratados. De um lado, se nossa atitude de buscador é sincera, se queremos, de verdade, as soluções e a cura ou se queremos ser “engabelados” pela suavidade efêmera do algodão doce; de outro, se o processo colocado diante de nós, desafia, exige esforço e flexibilidade. Se você quer solucionar e ter sua alma curada, prefira um caminho que exija algo. Cuidado com os que concordam com tudo o que você diz sentir ou pensar. No movimento de cura da alma, o agente de cura precisa de um ouvinte que escute além do que as palavras dizem. Isso o livrará de cair numa espécie de “roda de samsara” e ficar girando sem sair do lugar.

O Mestre de Cura é alguém amoroso e hábil no manejo das ferramentas que podem libertar quem busca uma vida resolvida, fluida e leve; por isso, sua amorosidade é a que desperta o adulto, confronta a mente manhosa e trata com a firmeza necessária para desincrustar o problema que se esconde sob as desculpas e as raivas infantis que prendem a pessoa na doença ou na mediocridade. Amor e firmeza são virtudes fundamentais do Mestre de Cura.

Todas as pessoas tem um chamado na alma para a evolução, deixar para trás o egocentrismo infantil e assumir com gratidão o desafio de viver e, para que sejam bem sucedidas, desenvolver a flexibilidade para assimilar os golpes que o cinzel da Providência usa para esculpir um novo ser a partir da pedra bruta que é o ego. Isso é dolorido por um tempo, porém, quando a pessoa abandona a exigência do algodão doce, a Vida lhe presenteia com as delicias que somente a alma e o espírito podem reconhecer e desfrutar. (Aluísio Alves: Doutor em Educação Médica, Psicanalista, Terapeuta Sistêmico, Constelador Familiar).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *