A ALQUIMIA SECRETA DA ALMA

A alma tem seus próprios movimentos e modos muito refinados para buscar as soluções que precisa.
As formas de perceber e agir da alma são muito diferentes da lógica predominante e habitual de se olhar para a vida. A alma tem sua própria alquimia, ou seja, maneiras de transformação e autotransformação com uso de elementos pouco conhecidos ou completamente ignorados pelas abordagens convencionais.

Quando uso o termo alma, refiro-me a três níveis: individual, familiar ou grupal e um terceiro que podemos chamar de alma maior. A alma individual é movida pela alma do grupo familiar que, por sua vez é conduzida por uma consciência muito mais abrangente.

Por conta disso, muitas pessoas não conseguem se libertar de algo que as adoece ou lhe prende os passos na vida porque estão lutando ou resistindo contra algo que é muito mais forte e abrangente.

É preciso dizer que no campo espiritual em que as histórias familiares acontecem e onde se repetem os destinos familiares, tudo continua se repetindo até que algo de fora, ainda maior, venha interferir para que a própria alma familiar saia do emaranhamento em que se encontra. É um dos motivos pelos quais quando uma pessoa retoma o seu lugar no clã familiar, estará ajudando a solucionar e a curar todo o grupo familiar. Esse campo não tem consciência, segue um movimento visando alcançar algumas finalidades, porém, por não ter algum tipo de consciência, apenas continua repetindo histórias. É um campo onde predominam as leis arcaicas, cegas e que continua exigindo que todos se comportem do mesmo jeito.

A alquimia da alma a que me refiro é quando há um despertar por parte de uma consciência mais abrangente que faz com que o individuo perceba algo sutil e isso lhe permite colocar-se na ordem natural das coisas pelas chamadas ordens do amor. Quando isso ocorre, esse indivíduo, se apoiado de forma correta, sai de uma repetitiva história de sofrimentos, adoecimentos e fracassos e decide conscientemente levantar-se, andar, correr e voar em sintonia com seus ancestrais. Por quê isso acontece? Porque, a partir dessa postura, liberta-se dos destinos pesados, ganha autonomia e fica liberto para realizar-se na plenitude que lhe corresponde. Ao fazer esse movimento, a pessoa ajuda a curar e a libertar sua família em muitos aspectos. É um trabalho de amor que cada pessoa pode fazer por si, pelos antepassados e pelos descendentes diretos ou indiretos.

Essa alquimia da alma a que me referi está totalmente conectada com os movimentos maiores do espírito, portanto, são leves e duradouros. (Aluísio Alves: Doutor em Educação Médica, Psicanalista, Terapeuta Sistêmico, Constelador Familiar).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *