UM NOVO OLHAR PARA O RELACIONAMENTO AMOROSO: CASAIS QUE DÃO CERTO

Cada parceiro carrega muito do que vem do seu grupo familiar de origem. Ajustar esses dois universos tem sido muito fácil para alguns casais e um verdadeiro desafio para a maioria. O que pode ser feito?

Os casais que conseguem sem maiores dificuldades os ajustes e adaptações para seguirem juntos são formados por parceiros que, individualmente, conseguiram fazer o movimento interno de honrar os pais biológicos e, por outro lado, construíram uma autonomia que os desobriga de seguir cegamente os progenitores. Fazem isso naturalmente e seus relacionamentos amorosos dão certo, seguem. Por outro lado, a imensa maioria dos casais precisa fazer um esforço consciente e deliberado para que tenham mais alegria e êxito em seus relacionamentos conjugais. Existem algumas exceções por conta de adoecimentos diversos, porém, para um relacionamento amoroso dar certo é inevitável que cada parceiro olhe para o relacionamento que tem interiormente com os pais biológicos. Sem isso, sem essa disposição para examinar seu posicionamento em relação aos pais, qualquer tentativa de melhorar a qualidade da relação amorosa está enfraquecido e com tendência a gerar pouco prazer e, certamente, dará certo por pouco tempo.

Um novo olhar significa admitir que além do amor tão falado e procurado pela humanidade, um relacionamento amoroso para dar certo precisa de mais. Não é só o amor que sustenta uma relação e a torna verdadeiramente geradora de alegrias ao longo do tempo, existem outros elementos ou fatores que precisam ser percebidos, descobertos e trazidos para dentro da relação do casal. Mas, evidentemente, é preciso que os dois parceiros queiram fazer esse movimento de busca e compreensão profunda. A verdade que muitos não querem ver e até se sentem ofendidos quando a demonstramos é que enquanto a pessoa fica presa na ilusão infantil sobre a vida, e, pior, ficar apegada a esse tipo de postura inadequada, terá muitos dissabores na vida amorosa e terá pouquíssima força para fazer os movimentos e mudanças que são necessários para viverem uma relação amorosa na condição de adultos. Crianças que ainda estão agarradas cegamente aos pais não estão prontas para viverem relacionamentos amorosos como adultos. Precisam de um novo olhar sobre a situação.

Talvez alguém se pergunte: mas é obrigado que toda relação amorosa dê certo? A resposta é: toda relação amorosa dá certo até quando dá certo. Quando se tenta de tudo, de forma amadurecida e adulta, para se conquistar um novo nível no relacionamento e nada se move, nada se mostra, é hora, também, como adulto, de pensar em um novo caminho, porém, se não resolver as questões de base com sua família de origem, a pessoa estará condenada a viver novo ciclo de pouca ou de curta fase de satisfação e entrará no caos novamente. Como sair disso? Dispondo-se a ter um novo olhar para a família de origem. (Aluísio Alves: Doutor em Educação Médica, Psicanalista, Terapeuta Sistêmico, Constelador Familiar).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *