A ARMADILHA DO AUTOENGANO E A BREVIDADE DA VIDA

Para aumentar o prazer de viver ou diminuir o sofrimento existencial, criamos, como proteção, justificativas, estórias e explicações. Isso é autoengano!

Com intenção de nos proteger, caímos na armadilha do autoengano e nele ficamos presos, perdendo a oportunidade de desfrutar da vida da forma como podemos ser, sem criar uma falsa imagem de nós mesmos para nos apresentar ao mundo.

Acontece, que o tempo é fluido, dinâmico e não nos acompanha. O tempo faz seu movimento, como deve ser e, quem engana a si mesmo acaba por não perceber a brevidade da vida, como tudo escoa muito rapidamente.

Certa ocasião trabalhei com um grupo de profissionais que atende a crianças e adolescentes portadores necessidades especiais, desenvolvendo uma série de vivências para que aqueles cuidadores pudessem cuidar de si próprios e o tema gerador do encontro foi a Arte de escutar a vida que ecoa e escoa no cotidiano. Ao final daquelas atividades, muitos deram feedbacks do quanto se descobriram presos no autoengano, querendo se esconder num ativismo sem fim, fazendo, fazendo e fazendo, fugindo, assim, de um encontro consigo mesmos. Achei muito sincero da parte deles porque é assim mesmo que acontece: o autoengano tira nossa visão de algo mais abrangente que é a vida e da forma como a perdemos lentamente a cada dia, no nosso correr para trabalhar, para dar conta de tanta coisa, como se só isso fosse a finalidade. Você e eu sabemos que não é assim, mas, caímos, seguidamente na armadilha de enganar a nós mesmos com justificativas, estorinhas e explicações que, embora sejam lógicas, não resolvem nosso desespero e vazio de alma.

Minha sugestão é que você seja guerreiro e guerreira, decida sair do autoengano e passe a viver uma vida mais simples, fazendo tudo o que realmente precisa e não o que distancia da sua sensibilidade para consigo e com a vida. Tudo começa com a decisão de olhar-se, sentir-se merecedor e merecedora de atenção e de ter mais foco, não deixando o tempo da sua vida escoar por conta de desculpas que você sabe que não correspondem à realidade. Pergunto: quando começará a se livrar do autoengano?

A vida é breve, porém, suficiente para que despertemos nossa alma. O que nos falta é mais postura positiva, na prática e não na teoria. Veja, por exemplo, as redes sociais: tantos pensamentos positivos, frases fortes e muito brilho e barulho. Sem dúvida isso é maravilhoso, porém, a questão é sair do que é efêmero, passageiro, que dura o tempo de um flash e praticar, viver, colocar no cotidiano. Comece pelo corpo, cuide dele! Olhe para seu sentimento, cuide com muito carinho do que seu coração sente e do que a alma quer. Não se engane, pode até justificar, mas, sabe exatamente o que, de verdade, precisa para seu mundo interno ficar mais leve e fluido para viver cada momento da sua vida com gratidão e alegria. (Aluísio Alves: Doutor em Educação Médica, Psicanalista, Terapeuta Sistêmico e Constelador Familiar).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *