ATÉ QUE PONTO VOCÊ ESTÁ DISPOSTO A SE AJUDAR?

As boas soluções acontecem mais rapidamente quando a pessoa está disposta a se ajudar.

Isso é muito marcante nos tratamentos de saúde em todas as suas dimensões. Uma pessoa que deseja reduzir a ansiedade, as crises depressivas, eliminar a gagueira, conseguir foco na vida pessoal e profissional, melhorar a relação com os filhos, abandonar tiques nervosos, dentre outros, precisa saber que seus resultados vem mais depressa conforme sua disposição em contribuir.

Tenho recomendado que no momento em que você resolver buscar tratamento seja em qualquer área da sua vida, que você tenha abertura mental, porém, agora reforço que além dessa postura, venha com disposição em “se solucionar” porque ninguém soluciona você, tudo vem de dentro, vem da sua alma.

Você, que, atualmente está em algum tratamento ou que vai começar algum processo de desenvolvimento integral, até que ponto está disposto a se ajudar? Se for se avaliar nessa atitude interna, o desejável é que seja nota máxima. Digo isso porque é muito comum encontrar gente sincera, que quer resultados no tratamento, mas, que “entregam” o processo totalmente na mão do profissional que o atende, como se, dessa forma, bastasse ficar parado, esperando a solução. Claro que confiar no profissional é fundamental, mas, não é tudo. É preciso estar disposto a contribuir com a própria superação ou melhora.

Devido à dinâmica da vida atual, tenho proposto sempre atendimentos mais objetivos, que vão direto ao ponto do que incomoda a pessoa e é incrível como os resultados são até maiores, mais rápidos e melhores naquelas pessoas que se esforçam junto comigo, ou seja, que unem sua vontade com o arsenal de recursos que coloco à disposição.

Já perdi a conta do número de pessoas que relatam os resultados obtidos no campo das relações amorosas, por exemplo. Gente que não conseguia um parceiro adequado, relacionamento conjugal por um fio, falta de paz com os pais ou os filhos, preocupação por conta do insucesso dos filhos, insônia, falta de motivação para viver, uso de drogas lícitas ou ilícitas, vícios, em geral, mas, que após tomar consciência de que é preciso se ajudar ao máximo que puder, resolve de maneira tranquila tudo isso.

Aplica-se também na definição de uma segunda carreira, mudança de profissão, resultados na vida acadêmica, eliminação de fobias e outros desafios são perfeitamente solucionáveis quando a pessoa está disposta a contribuir com o processo e com quem a apoia no tratamento. Espero que você venha com cem por cento de disposição para se ajudar. (Aluísio Alves: Doutor em Educação Médica, Psicanalista, Terapeuta Sistêmico e Constelador Familiar)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *