A DELICADA TAREFA DO AUTOCUIDADO

Quanto mais conectado com o coração, mais leveza e alegria para viver!

Fazer para os outros, cumprir horários, atender “a tempo e à hora”, deixar-se como o último da fila tem sido um hábito que tem trazido muito peso à vida de quem age dessa maneira.

Sem dúvida nenhuma, servir é um privilégio e uma bênção, porém, quando abandonamos nosso coração, deixamos de ouvir nossa alma e viver dias no automatismo, na mecanicidade, o que deveria ser motivo de entusiasmo e realização, passa a ser um pesado fardo.

Para estar conectado com o coração é preciso reconhecer o maravilhoso e misterioso movimento da Vida que, partindo de uma Fonte, percorreu os ancestrais até chegar a você. Isso é fundamental: reconhecer que você é apenas um elo na corrente da vida. É valoroso, é um papel fundamental no encadeamento da existência, entretanto, tentar fazer mais do que consegue ou tem força é uma atitude inadequada e arrogante.

Arrogância é a péssima atitude da autossuficiência, do se imaginar totalmente pronto e completo e recusar-se a pedir ajuda. O arrogante não pede ajuda.

E a principal tarefa que você tem é muito delicada: cuidar de si. É delicada em função do que comentei antes, ou seja, prestamos atenção fora e esquecemos de olhar para dentro. O correto é olhar para dentro e para fora também de forma equilibrada.

O autocuidado é tarefa delicada porque exige equilíbrio entre a humildade e autoveneração. É tarefa delicada porque sua base é o autoconhecimento. Debruçar-se para ouvir a própria alma é desafiante.

O autocuidado é tarefa delicada também porque temos a tendência em fugir de nós mesmos, de evitar ouvir a voz do coração, afinal, ao ouvir o que nossa alma verdadeiramente quer, teremos, inevitavelmente, que agir, fazer movimento e mudar. Então, preferimos ficar cuidando dos outros e do mundo como forma de fugir do autoencontro.

Por isso, desafio você a olhar para si com atenção plena ao que seu coração tem para falar. Afinal, quanto mais conectado com o coração, mais leveza e alegria para viver!

Reserve tempo para si e aprenda que merece de sua própria parte o carinho e a autovalorização que as demais pessoas não oferecem e que o mundo também não pode dar. (Aluísio Alves: Doutor em Educação Médica, Psicanalista, Terapeuta Sistêmico e Constelador Familiar).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *