A CONDIÇÃO HUMANA E O AUTOCONHECIMENTO

Em meio a tantas informações e na velocidade da vida contemporânea, o desafio é olhar para dentro e construir por si uma compreensão mais abrangente da condição humana.

Quanto menos autoconhecimento, mais desconhecimento da condição humana e mais ilusões originadas do ego inchado por sentimentos de grandeza e pelo papagaiar de palavras e expressões que criam uma falsa aura de sabedoria. Muito barulho e pouca sabedoria é o que predomina, porém, isso tudo é oportunidade para os que se dispõem pacientemente a estudar e praticar uma reflexão mais duradoura sobre si e sobre a natureza da vida.

Um dos métodos que coloco a serviço das pessoas a quem atendo tanto em grupo quanto individualmente é o da visão sistêmica e a apreensão da sua essência pragmática, ou seja, como aplicar na vida prática, exige que o interessado experimente, vivencie e observe os efeitos e, para isso, é preciso paciência e esforço.

Parece ser estranho, mas, o excesso de informações e a velocidade com que chegam podem ser perigosos obstáculos à ampliação da consciência em relação à condição humana e ao autoconhecimento. Para incentivar uma reflexão sobre esse trabalho sobre si mesmo:

– olhe com uma visão mais crítica para os que ensinam e verifique por si mesmo se eles sabem o que ensinam;
– verifique se os conteúdos que você acessa o fazem pensar profundamente ou apenas são lugares-comuns e pouco acrescentam;
– analise se você é influenciado por pessoas sem direção e que oferecem apenas conceitos, mas que não fazem em suas próprias vidas aquilo que recomendam que os outros façam.

A condição humana e o autoconhecimento podem ser mais compreendidos a partir do momento em que a pessoa tem uma posição consciente na família de origem. Isso é básico e influencia fortemente os demais campos da vida. Quem está fora do seu lugar no clã familiar, está correndo sérios riscos em todos os aspectos da sua existência. A boa notícia é que isso tem solução se o interessado se dispuser a agir após ampliar a consciência. Sem ação, poucos resultados se concretizam. Explicações sozinhas não curam e nem solucionam as dores e os enigmas da alma.

Os acontecimentos bons e as adversidades da vida real são oportunidades para desenvolver a inteireza do ser ou a integralidade, que é buscar um crescimento que atenda de forma equilibrada às necessidades da condição humana: físico, emocional, relacional e espiritual.

Se quer bons resultados no autoconhecimento e na compreensão da condição humana, busque referências consistentes, boas fontes e não se contente com abordagens medíocres ou frases de efeito que muito pouco acrescentam ao verdadeiro desenvolvimento integral e não sustentam a alma para encarar os desafios que a vida real apresenta.

Por fim, seja tolerante sem ser conivente com o que é raso e superficial e adote uma postura de contínua busca porque o autoconhecimento e o entendimento da condição humana é que trazem mais serenidade ao coração e mais foco para escrever uma história de superação que torne o cotidiano mais interessante e iluminador para todos os Seres. (Aluísio Alves: Doutor em Educação Médica, Psicanalista, Terapeuta Sistêmico e Constelador Familiar)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *