DESISTIR DE CARREGAR MONTANHAS

Muitas pessoas, aparentemente, fizeram uma espécie de pacto e passam suas vidas tentando carregar montanhas de um lado para outro.

Começam carregando pequenas pedras, depois, algumas rochas mais pesadas e, quando se dão conta, não conseguem se mover porque estão carregando montanhas…

O maior Mestre que passou por esse Planeta dizia que se a pessoa tivesse fé do tamanho de um grão de mostarda, daria uma ordem para a montanha se lançar no mar e assim aconteceria, pela força da fé.

Entretanto, já li e reli várias versões e em nenhuma delas o Mestre ensina que você deve carregar montanhas. Não! Se você está carregando montanhas, certamente existe algo que precisa ser mudado. E uma das atitudes mais sábias, mais maduras e corajosas que o ser humano pode ter é desistir. Desistir daquilo que faz mal, daquilo que adoece a sua coluna, daquilo que tira a sua alegria de viver, do que rouba o seu prazer de estar no mundo.

Desista de carregar montanhas no relacionamento amoroso tóxico que enche o seu coração de tristeza… Desista de carregar montanhas no seu trabalho, onde você quer “estender tapete vermelho” para todos, pagando caro para agradar os outros.
Pare de carregar montanhas!

Desista de carregar montanhas na sua saúde, busque ajuda e cuide -se. Olhe com mais atenção e perceba em que setores da sua vida você está carregando montanhas e desista de fazer isso.

O seu trabalho é andar, caminhar, seguir… Algumas vezes, no vale, outras no alto da montanha. Depois, segue-se a vida com os seus altos e baixos, poderíamos dizer: com os seus vales e suas montanhas.

Desista de carregar montanhas porque a melhor posição que você pode se colocar é a de pequeno, de aprendiz, de caminhante nesse mundo tão adoecido.

Desejo-lhe coragem! Que você aja com o coração para desistir de carregar pesos inúteis e, claro, que desista de carregar montanhas! (Aluísio Alves: Doutor em Educação Médica, Psicanalista, Terapeuta Sistêmico e Constelador Familiar).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *