A HIERARQUIA NO GRUPO FAMILIAR E NA SOCIEDADE

Existe uma ordem no Universo e quem se nega a acatar essa realidade enfrenta mais problemas na vida.

Por mais que a sociedade humana tenha evoluído tecnologicamente e mudado formas de relacionamentos, existem leis sistêmicas, muito antigas, arcaicas, duras e inflexíveis que continuam atuando. Independentemente da pessoa perceber, aceitar ou concordar, essas leis punem severamente quem não as cumpre, gerando dificuldades de natureza material, mental, emocional e espiritual. Essas leis são intolerantes e implacáveis e se cumprem sem nenhuma consideração a possíveis justificativas ou explicações.

A hierarquia ou ordem é dada pelo tempo do nascimento de alguém numa família, portanto, quanto mais antigo, maior para o sistema familiar. Isso é aplicado sem levar em conta virtudes ou deficiências humanas. Quem chegou primeiro tem um lugar mais alto e ponto final. Pode-se pensar, questionar, indagar, reclamar, mas, não tem como solucionar ou mudar essa condição: o grande é grande e o pequeno é pequeno, sem levar nada em consideração.

Em outros grupos sociais, segue-se a mesma lógica, porém, com algumas diferenças, por exemplo: nas empresas, os colaboradores tem um lugar na alma de cada organização dado pelo tempo em que lá trabalham. Colaborador mais antigo ocupa uma posição numa espécie de hierarquia oculta e, mesmo inconscientemente, exerce algum tipo de poder ou influência para o que é negativo ou positivo na empresa. Existem, portanto, duas hierarquias: uma funcional, aquela que aparece no organograma e outra que é sutil, oculta, dada pelo tempo de ingresso e atuação profissional em um grupo de trabalho. Líder inteligente, para ter melhores resultados com a equipe, precisa saber disso e levar esse conhecimento a sério.

A sociedade toda é estruturada a partir de uma ordem, uma hierarquia, explícita ou oculta, sendo que no grupo familiar é bem mais perceptível devido a resultados positivos ou consequências negativas para os membros.

Pai que se comporta como pequeno também quebra a hierarquia e se prejudica e perturba o desenvolvimento de descendentes, de uns mais do que de outros; mãe que se posiciona de igual para igual com os filhos também está desrespeitando a ordem e gera problemas para si e para os pequenos, de fato; filhos que se julgam maiores do que pais, mesmo que tenham as explicações mais convincentes acerca das imperfeições ou falhas dos grandes, sofrem muito por se posicionarem psicologicamente ou nas atitudes como se fossem mais importantes do que seus pais. Amplie sua consciência e siga bem em sua vida, com saúde, leveza, amor e prosperidade!(Aluísio Alves: Doutor em Educação Médica, Psicanalista, Terapeuta Sistêmico e Constelador Familiar).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *