PAI: SEGREDOS DO “AMOR DE LONGE”

É lei universal do amor que os pais deem e os filhos recebam, sem essa dinâmica, fica uma lacuna que se traduz em adoecimento e fracasso.
Neste breve estudo sobre o pai, serão mostradas as posturas internas que, se adotadas pelos filhos, poderão gerar soluções e cura para os filhos, além de maior leveza para os genitores.

Parece um verdadeiro milagre que seres tão diferentes quanto o são a mulher e o homem possam se unir movidos, acima de tudo, pelo serviço em favor da vida, mesmo que isso lhes seja desconhecido no nível da consciência, para fornecer os canais da vida para os filhos.

Uma das diferenças mais notáveis entre o pai e a mãe é sua forma geral de amar os filhos. Enquanto a mãe manifesta um amor mais próximo, tanto física quanto afetivamente, o pai – em geral – ama de outra maneira: o que chamamos “amor de longe”. Com algumas exceções, o pai parece não ter necessidade de ficar muito junto dos filhos, sente-se bem mesmo quando o filho ou a filha tem que viajar, morar em outro país, sua comunicação é mais curta e mais objetiva e fica satisfeito com contatos com intervalos e tempo maiores, além de parecer pouco interessado em detalhes sobre a vida dos filhos e falar pouco. De maneira geral, é assim que o pai manifesta seu amor aos filhos, o “amor de longe”.

Isso, quando comparado com a forma da mãe manifestar afeto aos filhos, pode criar uma falsa ideia de que o pai não ama ou ama pouco. Não é isso. É a forma predominante do pai expressar seu amor pelos seus descendentes. Ao pai isso não parece algo errado, inadequado ou insuficiente.

Com esta abordagem, penso ser o necessário para cada filho e cada filha ampliar a consciência para perceber seu pai de uma forma mais abrangente, captando outras diferenças na forma de manifestar afeto, além de descortinar outros segredos desse “amor de longe ” e, assim, claro, olhar para o pai com outras lentes que permitam enxergar além das aparências.

Por outro lado, não escapa a este breve estudo, o fato de haver, sim, pai que não seja capaz de dar atenção e afeto conforme as expectativas, porém, é preciso pontuar algo essencial aqui: o pai ter dado o canal da vida para o filho foi tudo para que este entrasse no mundo; exigir mais do que isso, do ponto de vista das leis sistêmicas, é absolutamente sem nexo porque tais leis são voltadas para garantir a continuidade da vida e se isso foi feito, não há mais o que reivindicar, cobrar ou exigir. Neste ponto é preciso dizer que quando o filho, enquanto fica criticando o comportamento do pai ou exigindo mais, está recusando o que o seu pai lhe transmitiu: a vida. Recusar algo que vem da Fonte Maior e passa pelos pais é fechar as portas da alma e se contentar em sobreviver num deserto de profunda solidão, pouca energia vital e baixa capacidade para conquistar prosperidade.

Tome no seu coração tudo o que vem do seu pai, da forma como veio e exatamente como ele consegue dar. Caso isso seja considerado impossível, procure conhecer a história dele e de como a vida chegou até ele… certamente, essa será a mais verdadeira e valiosa homenagem que você poderá prestar ao seu pai! (Aluísio Alves: Doutor em Educação Médica, Psicanalista, Terapeuta Sistêmico e Constelador Familiar).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *