DE ONDE VEM A DOR E COMO LIDAR COM ELA?

O sofrimento é uma realidade que desafia a humanidade desde tempos muito antigos. Atualmente, com a baixa tolerância às frustrações, a dor humana tem tomado proporções alarmantes, ou seja, por mais que tenhamos recursos para evitar ou cessar os sinais do sofrimento, ela cresce e representa algo muito assustador e temido pela maioria das pessoas.

A dor humana, já me referi a isso em outros estudos e reflexões, tem sido objeto e sujeito da minha observação e, claro, experiência (uma vez que faz parte do nosso estar no mundo), durante toda a minha vida até aqui e continua recebendo meu olhar mais atencioso uma vez que, como agente de cura, recebo muita gente em busca de soluções para seus incômodos no corpo, na emoção, na alma e no espírito.

Tenho me colocado esta pergunta que, agora, compartilho com você: de onde vem a dor e como lidar com ela?

Antes que caia na armadilha de olhar o sofrimento de maneira simplista, quero alertar que a dor humana exige uma mirada mais ampla e mais profunda, em suas diversas dimensões e isso – tenho plena consciência do que digo – é um desafio por demais vigoroso que demandará paciência para ampliar a consciência e, mais ainda, um desapego dos pensamentos que você deixou que se alojassem na sua mente e que, sinto muito desapontá-lo, servem muito mais para reduzir seu entendimento sobre a dor do que para ajudá-lo a obter uma amplidão que ultrapassa a simples aglutinação de frases lógicas racionalmente, porém, destituídas de sentido profundo que é a base para uma cura ou solução.

Comecemos destacando uma importante contribuição de um dos meus Mestres, Bert Hellinger: “A dor corta e punge. Às vezes, ela nos assalta, sem que saibamos de onde ela surge, ou o que a provocou. Ela nasce em nosso corpo? Ou vem de algum lugar externo? Provém do campo mental em que nos movemos, atraindo-nos para alguém que sofreu essa dor, infligida do exterior, sem poder defender-se? ‘Ó dor, cessa!’, clamamos então interiormente, agindo com ela como se fosse alguém.
Aqui ficamos cientes de que a dor é mais do que uma simples resposta de nosso corpo a algo que pede nossa intervenção e cuidados urgentes.
Pelo menos, a partir desse momento, percebemos que a dor também é algo do espírito e que precisamos lidar com ela também de uma forma espiritual.”

Assim, podemos ter mais consciência de que a dor vem de uma região mais elevada e que, portanto, exige um tratamento à altura, que toque o espírito. E quem pode fazer isso? Primeiramente, o interessado na cura precisa abrir sua mente e aceitar essa sublime e desafiadora realidade. Entenda-se que o espírito nos move a serviço de algo. Em segundo lugar, contar com um agente de cura que tenha total clareza desses caminhos mais profundos e que consiga, como um sábio xamã, mergulhar junto com o ajudado nas profundezas mais agudas e misteriosas do espírito e de lá voltar com a bênção da cura libertadora.

Como lidar com a dor? Acolhendo-a como uma mensageira do espírito, que tem algo muito importante para dizer sobre nós e sobre a consciência da nossa família de origem. Afinal, muitas dores nasceram no passado de nossos ancestrais e repercute nos descendentes para chamar a atenção a respeito de algo que vai muito além das simples técnicas… isso é uma das razões pelas quais muita gente encontra solução boa e é curada quando se descobre a raiz da própria dor, seja física ou emocional. (Aluísio Alves: Psicanalista, Doutor em Educação Médica, Constelador Sistêmico, Executive Coach, Treinador Comportamental).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *