PARA QUE O RELACIONAMENTO DO CASAL TENHA MAIS FORÇA PARA PROSSEGUIR

A vida de casal precisa muito mais do que ternura e sintonia romântica, isso também, claro, porém, para prosseguir, vários aspectos precisam ser considerados. É sobre esses aspectos que vou tratar neste breve estudo.

Fico muito feliz quando posso receber e tratar casais em grupos ou em atendimentos terapêuticos fechados porque os resultados acontecem muito rapidamente quando os parceiros decidem olhar com mais profundidade para o relacionamento. Casais héteros e homoafetivos são igualmente beneficiados ao olhar para si e para as dinâmicas psicológicas que permeiam suas histórias amorosas.

Parceiros que estão em segunda, terceira ou outra união são diferentes dos que estão casados pela primeira vez. Parece óbvio, porém, existem detalhes muito sutis cujos efeitos podem, quando ignorados, trazerem muitos desconfortos para o relacionamento.

Quando os parceiros ou um deles tem filhos abortados espontaneamente ou não, filhos mortos ou entregues para adoção, certamente terão que ter um olhar especial para os acontecimentos no cotidiano da vida de casal porque, caso não tratem isso, poderão colocar em risco a própria felicidade conjugal.
Filhos que vão para um novo casamento dos pais trazem consigo, no nível inconsciente, certas dinâmicas que podem interferir fortemente no relacionamento enquanto um dos pais biológicos não se der conta do que precisa ser feito no nível emocional para liberar os filhos desse emaranhamento.

Parceiros que são filhos “ilegítimos” carregam consigo inquietações que podem ser transmutadas em forças positivas para que o casal siga bem em seus projetos de vida, inclusive, ao ter novos filhos.

As rejeições cometidas por um dos parceiros ou promessas amorosas quebradas que geraram sofrimento em terceiros ou abandonos, criam ondas que reverberam seriamente na nova relação amorosa de quem cometeu esse tipo movimento. Isso tem solução desde que seja olhado com seriedade e desejo de compensar esse tipo de “prejuízo afetivo” imposto a alguém. Isso não é uma ideia moralista ou moralizadora, é simplesmente a força arcaica que atua nos relacionamentos e grupos.

Como estou demonstrando até aqui, existem muitos fatores ocultos que podem dificultar o bom relacionamento do casal e todos esses aspectos e os próximos que vou citar podem ser curados e solucionados desde que o casal tome uma postura séria de buscar compreender o que está por trás dos problemas que enfrenta. Já vi muitos casais com sérios problemas financeiros, por exemplo, resolverem essa grave questão que tem levado a diversas separações, voltar a prosperar depois que trouxeram à consciência o que estava provocando suas derrotas no campo financeiro.

Ajudar o casal a sair do amor cego e infantil e entrar no modo do amor que enxerga é uma das tarefas de vida que mais gosto de cumprir. É libertador ver a vida voltar a jorrar no coração dos casais. Toda a família ganha, inclusive, os pais e antepassados de ambos e os filhos, caso os tenham.
Quem tem filhos de relações extraconjugais precisa tratar isso para que não se torne um obstáculo ao prosseguimento da união amorosa. Quem se casa com alguém muito mais novo também precisa olhar mais profundamente para o que pode emergir daí.

Parceiros com problemas com álcool ou outros vícios e problemas mentais precisam de uma grande ajuda para curar o que está encravado no seu clã de origem, ou seja, seus pais e outros antepassados, senão o relacionamento ficará seriamente fragilizado e poderá não ter força para continuar.

Os casais homoafetivos precisam se fortalecer e robustecer sua dignidade pela honra que devem prestar às suas famílias de onde vieram, isso poderá acalmar seu sistema familiar e trazer muita força para o relacionamento a dois.

Resumidamente, é preciso dizer que reconciliar repetidamente e recomeçar são os exercícios e as atitudes que deverão ser praticados diariamente para que o relacionamento do casal tenha força para prosseguir e, conforme, comentei, é preciso olhar para aspectos muito mais sutis do que o convencional e isso é um movimento inteligente e capaz de gerar muita alegria e dar à luz novas formas de se viver como casais. (Aluísio Alves: Psicanalista, Doutor em Educação Médica, Constelador Sistêmico, Executive Coach, Treinador Comportamental).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *