PRESERVE A SUA DIGNIDADE E A DOS OUTROS

Ajudar e receber ajuda não é tão simples o quanto parece.

A raiz de muitos sofrimentos e adoecimentos tem sido a forma como se recebe ou se presta uma ajuda. Ajudar é algo que vai além do simples dar algum recurso material ou mesmo imaterial para alguém; ultrapassa, também, aceitar ajuda quando precisa.

Ajudar acima da necessidade da pessoa é ferir sua dignidade, embora quem esteja recebendo ou oferecendo apoio tenha alguma dificuldade em perceber esse movimento que é interno. Se for ajudar, é fundamental ter a exata noção da medida da necessidade do outro, caso alguém queira agir como um “bom samaritano” com todos, poderá esbarrar na dignidade alheia.

Receber é um dos atos mais desafiadores porque implica em ficar, de alguma forma, devendo algo a quem ajudou. Prefira sempre retribuir à ajuda que recebe, seja material ou não. Importante entender que ajudar não significa exatamente gratuidade. A cultura do grátis e do free não são boas companheiras da dignidade.

O profissional que constrói sua casa ou que faz algum reparo no seu carro ou em algum equipamento está ajudando sim. O pagar não diminui em nada a ajuda e o apoio prestados. O desconhecido que o ajuda seja na cidade ou numa estrada deserta e nada cobra precisa ser recompensado com um profundo sentimento de agradecimento seguido de fazer algo similar para outras pessoas.
O médico que o atende seja numa urgência ou num tratamento eletivo está ajudando e precisa ser pago ou pelo sistema público de saúde ou pelo ato particular porque toda ajuda precisa ser equilibrada na balança das relações humanas.

As pessoas que estão presas na falsa ideia de que quem as ajuda não precisa receber nada em troca são vítimas de um péssimo relacionamento com as energias de troca que circulam na vida. Se julgam superiores e pensam secretamente que todos os outros devem servir às suas necessidades. Não é assim que a vida real funciona, mesmo que muitos não concordem com isso. Afinal, as Leis da Vida não pedem autorização a nenhum ser humano para serem aplicadas implacavelmente sobre os que não preservam a própria dignidade na hora de receber ou que ferem a dignidade alheia ao quererem ajudar excessivamente e sem receber nenhuma energia de troca.

Prefira, sempre, pagar generosamente a quem o serve e a ajudar somente na medida certa a quem precise, estando com o coração e as mãos abertos tanto para dar quanto para receber a energia de troca. Isso nos torna incrivelmente seres humanos mais elevados! (Aluísio Alves: Psicanalista, Doutor em Educação Médica, Constelador Sistêmico, Executive Coach, Treinador Comportamental).

One thought on “PRESERVE A SUA DIGNIDADE E A DOS OUTROS

  1. LUIZA MARTINS Reply

    Já ajudei muitas pessoas. Algumas pediram ajuda, outras, observei e vi que precisavam (as pessoas que realmente precisam, tem vergonha de pedir!). Mas eu nunca esperei retribuição….
    Não sei se foi coincidência ou não, a maioria hoje, nem fala mais comigo ! Sumiram (mas sei que estão vivas).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *