QUANDO O SABER NÃO É SUFICIENTE PARA SER, FAZER E FLUIR NA VIDA

Por quê tanta gente diz saber das coisas e, certamente, sabe, porém, mesmo assim não consegue ser o que deseja, fazer o que planeja e fluir na vida?

Vivemos, sem dúvida, num período de um verdadeiro acúmulo de informações que, além de gerar estresse e uma sensação de impotência para acompanhar a tudo o que é publicado, pouca utilidade tem para nos ajudar a descobrir onde estão as causas dos insucessos e dos adoecimentos que paralisam e impedem de prosseguir conquistando prosperidade.

A grande quantidade de informações divulgadas em larga escala cria uma falsa sensação de verdadeiro conhecimento da natureza das coisas tangíveis e intangíveis, como se o simples fato de ter contato com conteúdos fosse suficiente para abrir nossa compreensão mais profunda a ponto de perceber o que é essencial em nossas vidas.

A leitura superficial de textos e o contato com conteúdos cuja profundidade é a de um pires cria a ilusão de estar no controle dos processos complexos e sutis da vida e isso, infelizmente, não é verdade, a pessoa não está no controle!

A cura vem de uma região mais profunda, complexa e pouco conhecida do ser humano: a alma. Para acessar sua grandiosidade luminosa e libertadora é preciso se exercitar num sério esforço de autoconhecimento. É preciso humildade e muita seriedade para conquistar um conhecimento que, aparentemente é simples, e é mesmo, exige algo mais do que a simples leitura e o hábito de assistir a vídeos que prometem o que nem sabem do que se trata. Quando o saber não é suficiente para ser, fazer e fluir na vida, certamente, está na hora de buscar a Sabedoria, um patamar mais elevado do que o acúmulo de informações e cuja característica forte é o amor e admiração pela complexidade da vida dentro e fora do ser humano.

“Faça isso e faça aquilo”, dizem os gurus midiáticos que torpedeiam as mentes preguiçosas que buscam soluções fáceis e de curta duração; porém cada pessoa traz dentro de si um mistério particular, uma busca silenciosa e uma dor absolutamente diferente e, portanto, sair loucamente fazendo isso ou aquilo não vai trazer solução para todos devido a essas particularidades.

Se conhecimento resolvesse todos os nossos problemas e decifrasse todos os nossos enigmas, provavelmente, a humanidade viveria dias muito mais leves e isso ainda não acontece devido a conteúdos pessoais que se escondem nas histórias familiares com suas complexidades, exclusões, segredos e muitas repetições de padrões que adoecem a muita gente. Existe solução e cura para tudo isso? Existe sim, mas, é preciso um olhar mais abrangente para enxergar melhor do que se trata e das raízes do que prende vidas impedindo-as de ser, fazer e fluir. (Aluísio Alves: Psicanalista, Doutor em Educação Médica, Constelador Sistêmico, Executive Coach, Treinador Comportamental).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *