SABE O QUE PRECISA FAZER, MAS, NÃO CONSEGUE SAIR DO LUGAR

Nem sempre o saber resolve os problemas que a vida apresenta.

A razão é importante, porém, sozinha, é incapaz de oferecer as soluções para muitas questões. O exemplo mais óbvio é que mesmo sabendo exatamente o que precisa fazer, nem todas as pessoas conseguem sair do lugar.

Criei e venho aplicando nos últimos anos muitas ferramentas que ajudam as pessoas a se livrarem das garras do pensar interminável e conquistarem um novo estado mental no qual, além de raciocinarem, conseguem se mover para o que, verdadeiramente precisam.

Vejo com clareza pessoas, inclusive, evitando sair da terapia, não querem terminar o processo porque isso as colocaria na obrigação de fazer o que já sabiam. É um tipo de procrastinação ou autossabotagem inconsciente. Ninguém age assim em sã consciência. Por esta e outros motivos é que fica muito claro o quanto sofrem as pessoas que estão presas à eterna busca do porquê de tudo o que acontece ou deixa de acontecer em suas vidas. Precisam superar esse comportamento de ficar circulando indeterminadamente pela própria cabeça, pensam, pensam e não soltam o “freio de mão”.

Saber o que precisa fazer é uma parte importantíssima, porém, quando a pessoa fica só nesse saber, o risco de se deprimir, perder a vontade de continuar o jogo da vida e se desencantar com tudo, é muito alto. Não vale a pena correr esse risco.

Por trás desse “empacamento” pode ter muitos fatores, mas, o que adianta (de novo!) saber do que se trata? Será só mais um saber para sua coleção de inutilidades mentais, sem proveito, sem resultados transformadores.

Tudo bem, o que pode estar por trás pode ser um trauma, pode ser uma questão ancestral da família, poderá ser uma tonelada de motivos… o que adianta o simples diagnóstico sem conhecer a ação real que tirará a pessoa do lugar onde se encontra parada?

Já vi muitas pessoas serem reconectadas com sua força para a ação em poucos minutos e terem suas vidas transformadas porque souberam agir da forma correta e se liberaram.

Uma mente condicionada e viciada só em pensar, muito pouco resolve, embora exista uma espécie de sistema que induz as multidões a “saberem explicar tudo”, porém, pouquíssimo ou nada realizam e nem vivem as vidas que desejam ter, acabam se acomodando à beira do mundo, se tornam amarge se queixam de tudo e de todos.

Uma das situações mais deprimentes é aquela em que a pessoa sabe o que precisa fazer, mas, não consegue sair do lugar. Digo mais: ninguém precisa aceitar isso como condenação, mas, é preciso atitude para escolher pagar o preço que a liberdade exige, ou seja, se continuar a viver do blá-blá-blá que explica tudo, verá crescer o sentimento de impotência e da sensação de revolta por entender como tudo funciona, porém, sem conseguir receber a cura e a solução que precisa para destravar sua vida tão preciosa e, ao mesmo tempo, tão breve. Afaste-se disso, busque solução e não mais uma explicação, você é maior do que sua mente racional, é um ser de valor infinito, transcendente e com poder de construir uma nova história. (Aluísio Alves: Psicanalista, Terapeuta Sistêmico, Pós-Doutorando em Educação, Doutor em Educação Médica, Hipnose Clínica, Mentoria de Líderes e Equipes).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *