O QUE É PRECISO PERDER E DEIXAR IR

O excesso e a acumulação têm sido os carrascos de muitas pessoas. Quem deseja ter mais saúde e desfrutar mais da vida precisa compreender que o menos é mais.

O relacionamento amoroso já se deteriorou e todos os sinais de indiferença já foram emitidos, mas, a pessoa se nega a aceitar que é preciso deixar o outro ir como se o mundo fosse acabar com a separação… a alma entristece, o corpo apresenta sintomas de adoecimentos e a energia para viver se torna baixa, obrigando o apegado a rastejar em suas atividades cotidianas e pelos papeis sociais que precisa exercer, mas, uma falsa ideia o mantém num emaranhado que parece não ter fim. A pessoa não compreende que é preciso perder e deixar ir para que a vida se renove em todos os sentidos. Enquanto isso, vai destruindo e abandonando seu corpo, veículo do espírito neste mundo, afastando-se de familiares e amigos, colocando-se em posição desfavorável, destruindo a autoestima e a vontade de viver.

Este é apenas um exemplo, mas, esse movimento negativo de alma acontece em outros setores da vida: o emprego ou o empreendimento que é fonte de adoecimento e falta de paz, o curso universitário no qual de matriculou e que nada tem a ver com a vocação da pessoa, a briga por parte da herança que afeta a relação com outro, o bem material ao qual se apega e só obtém prejuízo material e desgosto, o status social que já não corresponde ao momento presente e que para ser mantido exige gastos e desgastes quase infinitos, o comportamento infantilizado no que diz respeito às coisas sérias e urgentes da vida…. tudo isso deveria ser perdido e deixar ir porque mantém quem assim age preso à morte, ao que está inerte, impedindo seu livre movimento para o mais, para a vida.

O mais é a vida e quando o apegado a ideias, contra-valores, comportamentos e a acúmulos materiais que são símbolos falsos de proteção e poder abre a mente para voluntariamente perder os excessos e deixar ir o que não faz mais sentido e o que é apenas sombra do passado, uma transformação acontece e a cura da alma se manifesta: é a força do menos porque o menos é mais.

Os apegados ao que diminui suas vidas sempre tem as melhores explicações e justificativas porque estão presos à cabeça e divorciados do próprio coração. Quanto menos apego e quanto mais segurança para correr os riscos que a vida exige em troca da liberdade do espírito, mais sentido tem o perder que aos olhos dos outros pode ser desvantagem, mas, os que optam por deixar ir descobrem quantas toneladas de infelicidade carregavam em suas costas por conta da ilusão que cegamente cultivavam.

A pergunta é: o que precisamos perder e deixar ir neste momento da nossa vida? Sabendo as respostas, o próximo passo é agir para agradar ao próprio coração, parar de fingir que está tudo bem e abrir espaço interno para que a renovação tenha lugar para crescer fazendo expandir a consciência e nascer a as novidades que a leveza traz.

Realmente, o excesso e a acumulação tem sido os carrascos de muitas pessoas e quem deseja ter mais saúde e desfrutar mais da vida precisa compreender que o menos é mais e agir porque o tempo é um Mestre que não espera os apegados. (Aluísio Alves: Psicanalista, Terapeuta Sistêmico, Pós-Doutorando em Educação, Doutor em Educação Médica, Hipnose Clínica, Mentoria de Líderes e Equipes).

One thought on “O QUE É PRECISO PERDER E DEIXAR IR

  1. TARCISIO DE OLIVEIRA E SOUZA JUNIOR Reply

    Particularmente penso que aquilo que é material e conquistamos mesmo que se vá não o perdemos, pois dele tiramos o proveito e vejam que o texto trata bem do supérfluo o que mais leva o ser a se apegar a materialidade no meu caso não tenho esse apego, no tocante a família pensemos na constituição da mesma por uma via que foi padrão e hoje já em desuso, namoramos, noivamos, casamos concebemos filhos que concebem os netos e vida que seque, vendo que não se impera mais o amor do começo ” paixão “, trabalhemos o fraterno mas sem nunca o casal esquecer que antes de avôs somos pais, antes de pais, marido e mulher e antes de marido e mulher amantes que nos levaram ao todo acima descrito, pensando nisso não devemos os casais jamais deixar esta chama apagar-se pois se uma família chegou a esse grau de maturidade estando juntos não começou o relacionamento de todos nesta vida!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *