DIMENSÕES AINDA POUCO CONHECIDAS DA SAÚDE E DA DOENÇA

É muito claro que quando acontece um conflito entre o corpo e o psiquismo, a harmonia está quebrada devido a uma ruptura de dimensões ainda pouco conhecidas porque a história da doença e da saúde vem, muitas vezes, emaranhadas na trajetória de antepassados do grupo familiar e do própria pessoa.

Centenas e centenas de vezes, durante atendimentos em clínica e em grupos, fica perceptível a sutileza dos sintomas para obrigar a pessoa que sofre a olhar para áreas da sua vida que estavam ignoradas ou camufladas sob formas de doenças materializadas no corpo cuja origem, porém, se localizava em arquivos muito refinados e de difícil acesso na dimensão insconsciente. O surpreendente é que quando essas informações vêm à tona, ou seja, à consciência, torna-se possível ressignificar doenças ou a ausência da saúde e, possível também, desaparecerem sintomas e desconfortos.

Alguns campos da pesquisa na área da saúde física e mental têm se deparado com dimensões ainda pouco conhecidas da saúde e da doença e têm trazido alento, esperança e boas soluções quando manejadas com excelência por profissionais que estudam, pesquisam e, de fato, dominam a arte de ajudar pessoas, são profissionais que conquistaram mãos e palavras de Luz. Se a pessoa que busca ajuda está seriamente interessada em olhar para o que a incomoda tanto no aspecto físico, quanto no mental, emocional e espiritual, encontrará os profissionais certos para o que precisa resolver em sua vida.

A interconexão entre todas essas dimensões das doenças, da saúde, das vidas de antepassados e da trajetória do paciente é óbvia demais para ser desconsiderada porque os bons resultados tem falado mais alto e isso tem motivado cada vez mais a pesquisa comprometida com o entendimento dessas realidades que até pouco tempo eram campos específicos da Filosofia e da Religião.

Diante desta breve descrição, o convite que fica é para que cada ser possa se permitir olhar para a própria vida como algo que não seja obra do acaso e das coincidências, simplesmente porque isso não existe; o convite também é para reconciliar-se interiormente com tudo o que lhe pertence: sua família de origem, com a linhagem paterna e com a linhagem materna; reconciliar-se com todas as instâncias que lhe constituem, o corpo, a mente e o espírito, independentemente do que pense sobre isso ou do que acredita ou não acredita. Trata-se de uma tarefa para tomar nas próprias mãos o que lhe cabe fazer ou deixar de fazer, ou seja, conduzir-se e, por outro lado, aceitar inteligentemente que seja conduzido por forças que atuam em dimensões ainda pouco conhecidas, mas, que existem e têm poder para determinar muito mais do que imagina nossa ciência e nossa forma de nos posicionar no mundo interno e externo.

O que posso dizer é que, de verdade, quando se instala um conflito de dimensões ainda pouco conhecidas na pessoa, algo se rompe e essa desarmonia gera doenças, porém, quando toma-se uma atitude mais respeitosa com tudo aquilo que se apresenta como maior do que nós, a doença e os sintomas se incluem como maiores, algo novo se move e um bom tratamento acontece gerando ótimas soluções na vida material, emocional e espiritual, atingindo positivamente outros membros do clã familiar, do presente e do passado. (Aluísio Alves: Psicanalista, Terapeuta Sistêmico, Pós-Doutorando em Educação, Doutor em Educação Médica, Hipnose Clínica, Mentoria de Líderes e Equipes).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *