A DEPENDÊNCIA EMOCIONAL TRANSGERACIONAL: DESCENDENTES PRESOS AOS ANTEPASSADOS

A lealdade cega e infantil aos pais ou a antepassados pode gerar a repetição da dependência emocional por parte de filhos e outros descendentes.

A lealdade a que me refiro é o amor que adoece a alma e prende a pessoa em todos os setores da vida: nas relações amorosas tóxicas, principalmente, em profissões ou empregos para os quais não tem interesse e, estranhamente, no desenvolvimento de doenças físicas ou emocionais que a vincule a alguns profissionais ou receba mais atenção dos outros ou, ainda, em qualquer movimento em direção ao que é novo.

O dependente emocional não tem força para se mudar de cidade, mesmo que seja para melhorar de vida. Essa dependência pode ser em relação aos filhos, a papeis sociais e vai passando de uma geração para outra até que alguém pare para olhar esse incômodo e, caso faça um movimento adequado terapeuticamente, se liberte e ajude a liberar as memórias dos ancestrais presas também no sofrimento vivenciado em outros tempos. Essas questões transgeracionais não desaparecem com o passar do tempo, são atemporais e “migram” para as gerações seguintes caso não sejam corretamente tratadas.

O tratamento deve ser profundo e respeitoso porque está no nível da inconsciência e entrar no campo de memórias da família exige muita reverência porque é um espaço sagrado.

A dependência emocional mantêm descendentes presos aos antepassados em um nível tão profundo que, na maioria das vezes, é invisível aos tratamentos convencionais. Em muitos casos que tratei, usei a ferramenta da constelação sistêmica para trazer à tona a origem da dependência emocional e em seguida, uma hipnose clínica não-verbal com regressão para acessar o ponto a ser reprogramado para a nova fase que o paciente/cliente passou a viver.

Muitas pessoas dependentes emocionalmente geram outros adoemecimentos tais como crises depressivas, medo de ficar longe das pessoas que lhe são importantes afetivamente, reduzem drasticamente o potencial na profissão e na prosperidade material, suportam relacionamentos amorosos ruins e tóxicos por conta de um medo secreto de ficarem sozinhas. A dependência emocional de muitos pais bloqueia o desenvolvimento dos filhos, levando-os a se sentirem inseguros e incapazes de seguirem bem e administrarem suas vidas.

Resumidamente, a origem da dependência emocional é a lealdade cega e infantil aos pais ou a antepassados e isso pode gerar a repetição da dependência emocional por parte de filhos e outros descendentes. É um tipo de amor que adoece a alma e prende a pessoa em todos os setores da sua vida. A solução é buscar ajuda para livrar-se dessa dependência que leva para o menos, ou seja, para a morte, e abrir a alma para o verdadeiro amor que cura! E esse movimento
é para pessoas decididas a resolverem seus embaraços e vencerem seus desafios! (Aluísio Alves: Psicanalista, Terapeuta Sistêmico, Pós-Doutorando em Educação, Doutor em Educação Médica, Hipnose Clínica, Mentoria de Líderes e Equipes).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *